Stop

Pensamentos Inspirações Artigos Publicações

Homeopatia e Terapia Floral

Homeopatia e Terapia Floral

Hercílio Maes

www.edconhecimento.com.br/autores.asp?id=45


No livro : Fisiologia da Alma, Obra psicografada por HERCÍLIO MAES, Em canalização do RAMATIS em edição de 1959, este afirma:

Trata-se de uma terapia definitiva, que actua através do potencial de energias livres, interpenetrando o próprio perispírito imortal do homem e, assim, procedendo a modificações "de dentro para fora", com uma actuação que se processa desde a esfera mental até à periferia do corpo físico.

Mas a verdadeira morada do homem- espírito, mesmo após a sua descida ao escafandro de carne, ainda continua a ser aquele mundo oculto, da energia livre, onde ele permanece interpenetrado pelas forças de todos os planos de vida criada por Deus . Em consequência, é óbvio que só terão êxito definitivo no restabelecimento da saúde do corpo carnal os medicamentos que forem particularmente dirigidos para o mesmo campo de forças donde o homem se originou.

E isso só é possível pelo remédio homeopático, porque ele é fundamentalmente energia e não massa; é mais dinâmica e menos letargia; mais força e menos medicamento; mais operante a menos estático. É um poderoso catalisador que desperta energias, acelerando reacções no organismo combalido, pois intensifica a eleva o seu "quantum" de vitalidade adormecida, ajustando o potencial psicofísico desarmonizado e operando através da sua energia infinitesimal potencializada. Quando o paciente ingere uma dose de "alta dinamização", com a qual o terapeuta haja acertado com êxito a medicação de fundo ou a dose constitucional electiva, a sua "aura vital" reveste-se de brilhante nuvem radioactiva, que a envolve intensamente, embora seja invisível aos olhos dos encarnados.

As energias que se libertam pela acção catalisadora de alta dose homeopática rodeiam a criatura até à distância de três a quatro polegadas, em todos os sentidos de sua aura vital, formando um irradiante ovo em tom metálico, bem esbranquiçado que, de princípio, se assemelha bastante à Miniatura do impacto de uma bomba atómica

... sobre o ápice da "aura vital" humana, se percebe a princípio a figura do sugestivo cogumelo atómico, embora apenas na forma de uma radiação transparente, que flutua a se expande directamente do veículo aquoso da dose homeopática ingerida pelo doente.

Assim que os "chacras" ou centros de fora do duplo-etérico captam essa energia livre e potencializada e a vão absorvendo pelos seus vórtices irisados, produz-se o abaixamento vibratório do energismo desperto em combinação com o medicamento homeopático, fazendo-se a necessária condensação para a intimidade do corpo físico.

A energia que foi potencializada a se liberta da "alta dose" homeopática tende a se concentrar mais rapidamente na região áurica do crânio, convergindo vigorosamente para a região cérebro-espinhal e disseminando-se, pouco a pouco, pelas zonas dos plexos nervosos branquial, cervical a dorsal para, em seguida, atingir o plexo solar, na região abdominal.

Sob a influência dessa carga energética poderosa, o sistema nervoso põe-se activamente a funcionar a restabelece o metabolismo do sistema endócrino debilitado, operando gradualmente na elevação vibratória... e no equilíbrio de todas as funções orgânicas perturbadas.

A glândula hipófise, que é a regente orquestral do cosmo orgânico do homem, renova-se, então, em função conjugada com a epífise, constituindo-se no "élan" da esfera mental e psíquica, e carregando para o corpo físico todas as energias disponíveis proporcionadas pelo despertar energético da dose infinitesimal homeopática.

« voltar aos Artigos