Stop

Essências Florais Bach Cactus Fes Cogumelos Bush Australiano Orquídeas: Amazónicas Dancing Light Europeias Living Tree

É uma essência de aprendizagem. Abre o Terceiro olho para a compreensão e o Coração à sensibilidade, à paciência e à tolerância. Num primeiro tempo proporciona paz e equilíbrio, mas em profundidade leva á conexão com o Eu interior e a encontrar um estado de equilíbrio interior, facilitando o encontrar das respostas adequadas ao momento presente. Aumenta a sensibilidade aos estados energéticos profundos das pessoas e dos lugares. Ajuda a conectar-se com a terra, com a realidade, gerando equilíbrio em todos os chacras e todos os corpos, provocando uma vibração simultânea que mitiga a dor, tanto aos níveis emocional e mental, como físico. Pode ser muito adequada em pessoas com doenças degenerativas graves. Esta essência mantêm o fluxo correcto de energia em cada chacra, favorece o alinhamento, conecta com o EU Superior, permite encontrar as respostas para as próprias necessidades e compreender se aquilo que se vive é correcto ou incorrecto. Consequentemente, trabalha a segurança ao nível interior, a serenidade, a paz e todas aquelas emoções profundas que podem surgir com o aprendizado.


Essências de Aprendizagem

É a compreensão de como se é perante o mundo; o primeiro passo é a tomada de consciência de que há um caminho, a distinção entre o kármico e o humano, entre aquilo que se tem vindo a fazer por ser o próprio programa e o que o ego gostaria de realizar, entre os sonhos e os desejos. É importante aqui o reconhecimento da nossa actuação, a análise dos aspectos narcísicos da personalidade para os desmontar, o poder, a dominação sobre os outros nas suas manifestações mais subtis, o entendimento das máscaras como mecanismos de defesa ou como estados de auto desvalorização e incapacidade que também nos impedem de ser nós mesmos. Se a aprendizagem não for conscientizada, as dificuldades serão vistas como azar, os acontecimentos disfarçados, os outros serão culpabilizados das nossas desditas. Fica-se então parado no caminho, como uma estátua, enquanto os outros seguem em frente, até que num momento a vida se desmonta, obrigando a plantar de novo a nossa estrada.

« voltar